CONTRA A BALCANIZAZÃO DA AMAZONIA BRASILEIRA
CONTRA A BALCANIZAZÃO DA AMAZONIA BRASILEIRA PDF Imprimir E-mail

A – Dirige-se
- à Sociedade Brasileira, Individual e Coletivamente;
- às Instituições Privadas, Cívico-Nacionalistas, Acadêmico-Estudantis, Centros de Estudos e Pesquisas, Institutos Histórico-Geográficos;
- às Empresas Jornalísticas e Rádio-Televisivas;
- aos Diversos Segmentos Industriais, Agro-Pecuários, Comerciais-Mercantis.

B – Enfim,
1 – Apela,   com  veemência,   ao  Povo  e  à  Cidadania  brasileiros,  no  sentido de pressionar,  de  todas  as   formas  e  em  todo  o  território nacional – em  Praça Pública  e  com Palestras,   Debates,   Denúncias  –  os   Poderes  da  República Federativa do Brasil (Executivo, Legislativo, Judiciário);  Advertindo-os  sobre a  Extrema  Gravidade   da  Questão  sobre  Demarcação  de  Áreas  Indígenas, inicialmente na Amazônia.
- Pois,  estão  em  jogo  a  Integridade  Territorial  e  a  Soberania nacionais – e o próprio destino  do    Brasil    como    Unidade    Política,    Independente   e Auto-determinada  –  se  definida  a  Demarcação  da Reserva Indígena Raposa Serra  do  Sol,   em  Área  Contínua   (1,7 milhões  de   hectares),   próxima   da Fronteira, com Venezuela e Guiana Inglesa.

2 – E, mais, podendo o Conflito  em Roraima reproduzir-se em  outros  Estados  da Federação  (Amazonas,  Acre,  Rondônia,  Mato Grosso,  Mato Grosso do Sul); transformando-se  o  “modelo  de  demarcação  de  Terra  indígena”   em  Tema Crucial  da  Política  e  da  Estratégia Nacionais,  nas próximas  décadas. Forma  evidente,  maquiavélica,  anti-Brasil,  de fazer,  da  Amazônia e de outras Áreas Estratégicas, extremamente  ricas,  Territórios  Autônomos  –  “Nações-Estados Indígenas”,  sob  “proteção benevolente”  da  ONU  (como  intenta  a   Recente   Resolução, de Set/2007).

3 – Ademais,  deve  a  Nação  Exigir Urgente Reexame  e  Anulação  da Criminosa  Portaria  nº 580, de 15.Nov.1991,  do  Ministro  da Justiça  do  Governo Collor, Concernente   à   Demarcação  da    Reserva   Ianomâmi   (9.400.000  hectares), imensamente maior do que  a  Raposa Terra do Sol.  E,  pior,  com a Agravante  de ser Contínua a outra Área Ianomâmi, na Venezuela (1.200.000 hectares).

C- 1 – Há que Responder  às Pressões Externas, de Potências do 1º Mundo, através de ONGs;   e,  até,   Ameaças  de   “Intervenção  da  OTAN”... (como  se   fôramos Colônia); com Ação Rápida, Altiva, de “Baixo para Cima”,   da Cidadania às Elites Político-Governamentais; do Povo aos Poderes da República.

2 – Basta! “Esta Terra tem Dono! Vamos Defendê-la!”; Os Patriotas e os nacionalistas desta Geração contra os Vendilhões do Imenso Patrimônio Territorial-Cívico! Contra os Novos Judas, como Calabar, Collor, Fernando Henrique e, por omissão ou  conivência, implícita ou explícita, o atual Governo Lula!

3 – Que nos Inspirem Vultos do Brasil Passado – Tiradentes, Caxias, Rio Branco, Floriano, Getúlio – para que possamos Visualizar o Brasil Futuro, Engrandecido, Integro; Livre, de vez, do Pesadelo e do Risco Iminente de “Balcanização” do Brasil Presente!

4 – Formemos, os Cidadãos brasileiros, Imensa Cruzada de Salvação Nacional! De Restauração da Vergonha e do Orgulho, da Dignidade e da Coragem de dizer Não aos Corruptos, Vendilhões da Pátria!
Formemos, todos, Imensa Cadeia Informativa, pela “Internet”; Denunciando, Divulgando Informes e Informações! Programando Eventos, Convocando, Pessoas Físicas e Jurídicas; em todos os Municípios, Estados, principalmente nas Capitais, desde já! O Tempo Curto; o Inimigo, de Fora e de Dentro do País, já se Apresta para Comemorar a Vitória!
Eia, Cidadãos! Povo Brasileiro! A Hora Impõe! Renovemos Energia e Vigor Patriótico-Nacionalista! Fora com os Corruptos e os Apátridas!

 Rio de Janeiro, 08 de setembro de 2008.

 Conselho Diretor do CEBRES